Cai o pano: espetáculo se encerra neste final de semana

Último final de semana tem sessões na sexta (9) e sábado (10) às 19h; e no domingo (11), às 17h

Após uma trajetória de quase dois anos de palcos, o espetáculo “Cantos de Coxia e Ribalta” se despede, por tempo indeterminado, neste final de semana. É a última chance para ver o espetáculo indicado ao Prêmio Destaque Imprensa Digital 2018 (categoria Destaque Roteiro Original) e vencedor do Prêmio MP (Musical Popular) de Teatro Musical Independente 2019 (nas categorias Melhor Roteiro Original, Melhor Direção e Melhor Coreografia). As sessões derradeiras acontecem na sexta (9) e no sábado (10) às 19h; e no domingo (11), às 17h, no Teatro Arthur Azevedo, na Mooca. Os ingressos estão à venda online, clicando aqui.

Musical 100% autoral e brasileiro, "Cantos de Coxia e Ribalta" foi criado por Alef Barros e Gustavo Dittrichi, a partir do estudo de três vertentes artísticas: os personagens-tipos da commedia dell'arte, os ritmos musicais brasileiros e o teatro narrativo brasileiro; combinando esta nova abordagem com a bagagem de pesquisa cênica que a Cia. Lusco-Fusco já carrega; teatro e música (ou teatro musical).

Tanto o texto quanto as músicas são originais. O argumento (escrito por Gustavo Dittrichi) buscou livre inspiração na obra de Luis Alberto de Abreu; em especial no texto "O Auto da Paixão e da Alegria". A linguagem cênica tem inspiração no musical "Godspell", de Stephen Schwartz e John-Michael Tebelak. Já a música (escrita por Alef Barros) buscou referências na obra musical de Chico Buarque; nas composições de Baden Powell com Toquinho, em especial nos seus estudos e releituras dos cantos de terreiro e umbanda; e na bossa-nova em geral. Os arranjos musicais e composições gerais são de Dario Ricco, Hiago Guirra e Marco De Laet; e os arranjos vocais são de Joyce Roldan. A concepção cênica e estética é de Gustavo Dittrichi.

Sinopse do espetáculo

Sob os sussurros da coxia e as luzes de ribalta, um grupo de atores se reúne para contar uma história. Entre o corre-vida e as chegadas e partidas dos trilhos de uma estação de trem, o público é apresentado a uma trupe de teatro em crise financeira, que corre o risco de ter seu teatro tomado por conta da especulação imobiliária. Um Poeta então é encarregado de criar uma grande obra teatral a fim de trazer de volta aos artistas os tempos áureos: é a última chance do Teatro sobreviver. Neste cenário, personagens tipificados, inspirados pelos tipos commedia dell'arte - o Dono da Cia., um Poeta, um Músico, uma Primadonna, um Jovem Ator sonhador e uma linda e ambiciosa Jovem Atriz - passam a viver seus próprios conflitos, que misturam-se com a própria história da peça que estão montando. Enquanto tentam contar a história, a realidade mistura-se com a ficção até que se tornem uma coisa só. A abordagem poética da paixão, da desilusão, da entrega, da inveja e competição, da morte e, sobretudo, da sensação de estar sempre tentando permanecer "de pé" e superar os obstáculos impostos pelo destino - sensação tão comum ao Teatro e também à vida cotidiana - são os ingredientes para mover o espetáculo.

Veja uma galeria de fotos do espetáculo:

Histórico do espetáculo

Estando em sua terceira temporada, o espetáculo estreou em janeiro de 2018 no Teatro Alfredo Mesquita, em São Paulo; e em outubro voltou para uma segunda temporada no Complexo Cultural da Funarte SP. Além disso, em abril, foi convidado para participar do Festival de Teatro de Mauá 2018, encerrando a programação cultural do evento.

No final de 2018, o dramaturgo do espetáculo, Gustavo Dittrichi, foi indicado ao prêmio Destaque Imprensa Digital 2018, na categoria de roteiro original, ao lado de grandes espetáculos do cenário como “Bibi – Uma Vida em Musical”, “Romeu e Julieta ao som de Marisa Monte” e “Cargas D’Água, um musical de bolso”. A premiação, que existe desde 2016, reúne alguns dos veículos digitais especializados na cobertura do teatro musical na cidade de São Paulo, que homenageiam, de forma honrosa e simbólica, diversos profissionais e espetáculos que se destacaram na cena paulistana no decorrer do ano.

No início de 2019, o espetáculo foi indicado em oito categorias do Prêmio MP (Musical Popular) de Teatro Independente 2019, tendo vencido em três delas: Alef Barros e Gustavo Dittrichi por Melhor Roteiro Original, Wellington Adélia por Melhor Coreografia e novamente Gustavo Dittrichi por Melhor Direção. As outras indicações incluíram Melhor Ator Coadjuvante (Rodolfo Mozer como O Dono da Cia.), Melhor Ator (Gustavo Dittrichi como O Poeta), Melhor Atriz (Carolina Silveira como A Jovem Atriz), Melhor Cenário (Jéssica Dittrichi) e Melhor Direção Musical (Marco De Laet).

O espetáculo tem patrocínio da Só Dança; apoio da ACENBI (Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira do Imirim), da Poiesis, das Fábricas de Cultura, do Governo do Estado de São Paulo, da Secretaria Municipal de cultura e da Prefeitura de São Paulo. A produção e realização é da Lusco-Fusco Produções Artísticas.

Serviço

Cantos de Coxia e Ribalta

Até 11 de agosto – CURTÍSSIMA TEMPORADA.

Sexta e sábado às 19h, domingo às 17h.

Teatro Arthur Azevedo (Av. Paes de Barros, 955 - Mooca, São Paulo, São Paulo - SP).

De R$ 17 a R$ 34.

Classificação etária: 12 anos.

Notícias

Cia. de Teatro Lusco-Fusco apresenta CANTOS DE COXIA E RIBALTA, um espetáculo musical original de Alef Barros & Gustavo Dittrichi.

IDEIA ORIGINAL & ARGUMENTO Gustavo Dittrichi. MÚSICA de Alef Barros. DRAMATURGIA Gustavo Dittrichi (com base nas experimentações dos artistas). ARRANJOS MUSICAIS de Dario Ricco, Hiago Guirra e Marco de Laet. ARRANJOS VOCAIS de Joyce Roldan.  DIREÇÃO MUSICAL Marco de Laet. DIREÇÃO GERAL & ENCENAÇÃO Gustavo Dittrichi. Assistente de Direção Cênica Carol Silveira. COREOGRAFIAS E PREPARAÇÃO CORPORAL Wellington Adélia. CENOGRAFIA Jéssica Dittrichi. FIGURINOS E INDUMENTÁRIA Gustavo Dittrichi & Pedro Aldozza / Croquis originais de Figurinos: Pedro Aldozza / Costura e Confecção: Jacinta de Fátima Feitosa, Gustavo Dittrichi, Maria Parlângelo, Mari Perin, Gabriela Perin, Isabella Costa e Wellington Adélia. MAQUIAGEM Gisele Santos. PRODUÇÃO EXECUTIVA Gustavo Dittrichi. Assistentes de Produção Alan Andrade e Juju Bac. ELENCO Gustavo Dittrichi, Marco De Laet, Carol Silveira, Igor Patrocínio, Nina Vettá, Rodolfo Mozer, Renan Lucena, Isabella Costa, André Costa, Rodrigo Ruffeil, Beatriz Poza, Belle Sena e as atrizes convidadas Beatriz Belintani, Joyce Roldan e Laís Helena.

Iluminação Juju Bac. Sonoplastia Grégory Damaso. Microfonista Alan Andrade.

Agradecemos imensamente aos colaboradores que participaram do processo: André Sakajiri, André Oliveira, Andressa Lelli, Breno Manfredini, Beatriz Santiago Príncipe, Beatriz Castro, Carine Desiderá, Gabriela Perin, Heitor Moretti, João Said, Karine Luiz, Lilian Prado, Lucas Zamaia, Rodrigo Odone, Yasmim Ribeiro. Fotos de divulgação Allan Bravos, Gabriela Perin, Gustavo Zoppello e Juju Bac. Edição, arte e tratamento de imagem Dittrichi Comunicação e Design.

Comunicação, Divulgação e Criação Visual Dittrichi Comunicação.

PRODUTORA ASSOCIADA Foca Produções Artísticas.

PRODUÇÃO E REALIZAÇÃO Lusco-Fusco Produções Artísticas.

Site desenvolvido por Dittrichi Comunicação e Design.

Um espetáculo da

Produção e Realização

COMUNICAÇÃO, DIVULGAÇÃO & CRIAÇÃO VISUAL

Logo-Dittrichi com-escuro.png

APOIO

Agradecemos aos colaboradores:

Arte View, Broadway Meme, Opinião de Peso. Bruna Augusto, Cibele Cintra Maiellaro, Daniela F. A. E. Silva, Debora Luiz Gonçalves, Domingos Maesaka, Érica Hotts, Eurípedes Prataviera, Gisele Santos, Iara Aparecida Locondo deLaet, Liana de Jesus Vanzin Silveira, Lucca Salazar, Marcelo Costa, Maria Irene Sakajari, Mariana Perin, Raul Perillo, Ricardo Kelmer, locutora Rita Mirone, Sheila Falcão, Takako Toyokawa, Yacine Guellati.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now